julho 06, 2005

da essência

Pobre de mim!
Fugiu-me a alma.
Antes a tivesse vendido ao capeta.
Mas não!
Entreguei-a a ti.
Emprestei-a pra você.

E tu a moldou ao teu modo:
Feiosa,sacana,bêbada e drogada.
Devolveu-me,
E de tanto nojo,
Joguei-a fora!

E a minha essência,
Menina boba e desenganada,
Agora anda chorosa e obsessiva
Ao meu lado,
Noite e dia,
Dia e noite.

7 comentários:

Luciane Pelagio disse...

Fernanda,

Você emprestou sua alma, todos fazemos isso de tempo em tempo. O bom é que vc pode a ter de volta
e remendar os pedacinhos quebrados
com uma cola muito especial: Sua poesia.
Linda esta sua poesia!
bjs

Paullo disse...

minha nossa... deu-me um arrepido quando mencionasse a alma pro capeta... hehe...
e sempre tem essa de se entregar mesmo nao querendo e coisa e tal... e "só vemos realmente o que uma pessoa é.. depois de emprestar-lhe a alma..." 'captei isso' .. ;)

bjx :D tá ótimo essa essência... ;)
zen.

Liliane disse...

mudamos a letra da musica... chora alma todo dia, q agonia...
bjos

Maria Borges disse...

Sua poesia está mais madura a cada dia... Está mergulhando fundo, hein, moça? Beijos.

Dani Lua Azul ( Nini ) disse...

Nandaaaaa...
Lindo...adorei!
Vou ficar esperando o livro heim..ehehe
Te adoruuuuuuuuuuuuu!
Muackkk

Dani Lua Azul ( Nini ) disse...

Nandaaaaa...
Lindo...adorei!
Vou ficar esperando o livro heim..ehehe
Te adoruuuuuuuuuuuuu!
Muackkk

Dani Lua Azul ( Nini ) disse...

Nandaaaaa...
Lindo...adorei!
Vou ficar esperando o livro heim..ehehe
Te adoruuuuuuuuuuuuu!
Muackkk

Refletidos

A imagem refletida

Minha foto

Gaúcha de nascimento, carioca de coração. Advogada, escritora incubada e apaixonada por cultura.