fevereiro 20, 2005

Endereço do flog

Bem, não sei, mas eu fiz a suposição de quem talvez alguns gostariam de ver a minha cara, saber quem é que escreve essas coisas sem nexo aqui nesse blog mais sem nexo ainda.
Por isso, eu vou ceder o endereço do meu flog, pra aqueles que ainda não o têm.RS...

http://www.slahirasonspot.flogbrasil.terra.com.br

É que, pra falar a verdade, eu me lembrei de um livro, o "Clarissa", se não me engano, do Érico Veríssimo (eu sou apaixonada pelos livros desse homem, e do filho dele tbm.Conterrâneos,tem que ter no mínimo, admiração, não é mesmo?!), em que ela lê um livro de poesias,e imagina o autor como um homem lindo e rico.Ela tinha muita vontade de conhecê-lo, e de, finalmente, se apixonar,coisa que nunca tinha contecido com ela.Quando ela conhece a figura, fica muito desapontada, porque apesar de ser um homem galante,que fala palavras bonitas e românticas, é um homem gordo e careca.E ela demora muito pra descobrir isso!!!
Como eu não quero que nenhum curioso passe por esse tipo de caso deflagrado, experiência horrível, aí está o endereço supra-citado, pra que vc possa matar a sua curiosidade,OK?!

E agora, com licença, porque eu preciso visitar meu namorado,a saudade aperta e dói.

P.S: Não sei o que faço. Estou absolutamente sem inspiração pra escrever contos.


Recadinho: Ricardo, tem razão,dane-se a métrica! Eu nunca gostei de Parnasianismo mesmo...

fevereiro 12, 2005

lendo

Bem, eu tava lendo a minha "antologia poética" (eu tenho a maioria das minhas poesias,que eu escrevi em um determinado período,passadas a limpo em folhas grampeadas...hauahauh),e achei nelas algumas que 'podem',não digo que são,mas 'podem' ser exemplos de alguns estilos que eu gosto....Outras são algumas loucuras que eventualmente saem da mente...ihihihihi.....Então,lá vai.

A última poesia da "antologia poética"...

::: bilhete :::

Anos após esses
Vou revirar estas mesmas folhas
E a cada fantasma de palavra
E num suspiro abandonado
Vou dizer: - Como fui feliz!

"Fui.",sim. No passado será.
Porque toda coisa boa
Que a vida me traz,
Jogo fora,
Com medo de estragar.

O que fazer com a coisa mais perfeita da vida,
O amor?
Preservar ou estragar?
Que tal aprender a amar?

Obs: Depois posto outra que tem mais a ver com o meu momeno atual. Essas são bem antigas.

::: lamento ::: sem estilo.....meu estilo...hehehe

Ai,angústia!
Sai de mim.
Ainda se o corpo transbordasse
Na lágrima querida.
Mas não, maldita!
Entranha n'alma,
E me faz esquecida.

Obs: Esse poema eu fiz depois de ler alguns de Florbela Espanca....Acho que esse é o nome...agora me deu branco.É uma poetisa dos anos 20, que morreu muito jovem.

O Modernismo quando trata doa questão da interiorização da literatura,Sertanismo,e literatura Regionalista

No entanto, essa poesia é um exemplar muito curto dessa parte da literatura que eu gosto muito!
Falando nisso., a literatura brasileira é uma das mais ricas que eu já li,das poucas que eu li!

Enfim;...essa poesia é eternamente dedicada a minha prima Bianca.

::: sodade :::

A saudade é preta.
Verde-musgo.
É clarinho, no verão.
Minha saudade é Branca.

Modernismo e a desconstrução da palavra

::: cansaço:::

Ai, cansaço.
Ai,cansaç.
Ai,cansa!
Ai,can ... (suspiro)
Ai,Ca.
Ai,C.
Ai...
Que nada significa o cansaço
E mesmo assim
Tantas coisas cansam.

Modernismo

::: pergunta:::

Poesia é mais que alma
É mais que coração.
Poesia é carro.
É avião.

Romantismo :: 1ª fase

::: ùltima :::

Ai, que pior que um rio de pranto
É a única e derradeira lágrima!
É a última cena
Da dor em desespero contido.
Ai,angústia!
Eis que guardo-a comigo,
A lágrima triste e só
Para demarcar em nefasta hora
O clímax do torpor, medo e desespero.


Obs: Por favor, não liguem para a MINHA falta de estilo e métrica,porque eu nunca entendi métrica direito....rs.

Romantismo...talvez 2ª fase

:::Perdão :::

Perdoa,
porque nunca serei do teu desejo.

Se quiseres o pôr-do-sol
Serei o nascente.
Serei o dia radiante
Quando desejares a noite escura.
Se sonhares com dia de chuva,
Serei calor fatigante na rua.

E ainda se eu o fizesse
Só pra te contrariar!
Mas não.
Tu és inverno
E eu sou verão.
E não sou assim por vontade própria.
Ah, quem me dera se fosse!

Perdoa,
Mas nunca serei
Do teu desejo.

Fui acusada

Ahauhauhauha!
Ricardo disse que eu sou preguiçosa!!!Ahuahauuha!Me conhece há pouco tempo,mas sacou o espírito da situação aqui!
Eu sou preguiçosa,e posto meus trabalhos com "alguma" frequência no Toca da Serpente, do site Garganta da Serpente.
Ricardo, já que vc é o único vistante do meu humilde,modesto e conservador "broguete"..rs....atenderei seus pedidos,tá bom?!
Beijos no coração de outros que perambularem por aqui além do Ricardo!Ahuahauha!

Refletidos

A imagem refletida

Minha foto

Gaúcha de nascimento, carioca de coração. Advogada, escritora incubada e apaixonada por cultura.