fevereiro 12, 2005

Romantismo :: 1ª fase

::: ùltima :::

Ai, que pior que um rio de pranto
É a única e derradeira lágrima!
É a última cena
Da dor em desespero contido.
Ai,angústia!
Eis que guardo-a comigo,
A lágrima triste e só
Para demarcar em nefasta hora
O clímax do torpor, medo e desespero.


Obs: Por favor, não liguem para a MINHA falta de estilo e métrica,porque eu nunca entendi métrica direito....rs.

Um comentário:

Ricardo Almeida disse...

Lindo poema, menina! Gostei muito. Quanto a métrica, fala sério: é "Romantismo" e não "Parnasianismo". Deixa esse negócio de contar sílabas para quem acha que a poesia deve ter rígidas regras matemáticas.

Refletidos

A imagem refletida

Minha foto

Gaúcha de nascimento, carioca de coração. Advogada, escritora incubada e apaixonada por cultura.