outubro 07, 2007

Bianca



não importa o que aconteça
não quero que esqueça
que na minha cabeça
existem tantas imagens
mas minha mente, insistente
percorre só tuas paragens
fica punhetando o mesmo assunto
ah, queria você aqui junto!

tenho medo da convivência
mas sentimento não é aparência.
te imploro hoje, não olvide
não ignore nunca quem eu sou
quem eu fui e sempre vou querer ser
alguém que te ama, pra valer!
sem motivo.sem por quê.

Ao sangue do meu sangue, a quem dividiu sempre comigo quase as mesmas lágrimas, e sempre o mesmo sorriso.

5 comentários:

De disse...

Oi Fer!

Hj vc fez a diferença no meu vocabulário. Eu NUNCA havia visto este termo: punhetando meu pensamento.
hehehhehehheehhehe
Primeiro fiquei chocada, mas depois, pensando bem, sabe que é bem isso mesmo: alguns pensamentos martelam tanto que, de duas uma: ou eles se resolvem, ou são, literalmente expelidos de dentro da nossa cabeça.
:o)
Abraços e boa semana!!!

De

Ricardo Almeida disse...

Gostei de muita coisa, mas especialmente da dedicatória ao final do poema. Aí pode estar a chave para o seu estilo.
Beijos e obrigado pelo carinho com o menino que mora em mim!

Adrielly disse...

Aimm eu concordo com o
primeiro comentário
Punhetando meu pensamento
foi O melhor amei o poeminha
eu adoro tudo que você escreve
e , não, não é puchasakismo,
talvez um pouco mas...
Eu realemente gosto do que vocÊ escreve,
porque tem essencia.


E eu adoro você
em particular também.
=X


;* muieh

Adrielly disse...

Ps: O rosto dela me lembra
o da ( não sei como escreve )
Lavínia Vlasak.

Lu Morena disse...

lindo, lindo, lindo!
como se não bastasse o conteúdo ser lindo, ainda rima!
Adorei!
Bjins

Refletidos

A imagem refletida

Minha foto

Gaúcha de nascimento, carioca de coração. Advogada, escritora incubada e apaixonada por cultura.