junho 01, 2009

Sapiência



Esta sapiência que eu tenho
desse teu desamor, desse teu fingimento
me dá um desalento
um nó que me aperta por dentro!
É igual vento encanado
quando sai desatinado
chovendo mundo afora.

Te aviso, mas vc não olha...
Um dia, sem demora
chove aqui dentro
e meu coração vai embora.

3 comentários:

Adrielly Soares disse...

Ai que delícia Ferr.
VocÊ tem que escrever mais, é tão bom.
*-*


=*linda

Dora disse...

Poema interessante.

"É igual vento encanado
quando sai desatinado
chovendo mundo afora."

Cheiro grande :]

Lu Morena disse...

delícia mesmo!
lindo e fofo (embora esse parece um elogio bobo, eu gosto)

Refletidos

A imagem refletida

Minha foto

Gaúcha de nascimento, carioca de coração. Advogada, escritora incubada e apaixonada por cultura.