maio 27, 2009

Retorno

Quando volto pra casa, sempre
Os aparatos da noite se recolhem.
Tudo se acolhe dentro de mim
E vira um espectro da minha memória.

Estão ali os gatos que brincam
As cafeterias, quiosques
As pessoas, tão diferentes
E ao mesmo tempo
Tão iguais entre si.
Tão enfadonhas...

Você também está ali
Com a sua apreciação inquieta
Dentro de olhos tão calmos.

Mas eu não estou mais ali.
Só quando eu me recolher
é que tudo irá embora.

Eu levarei tudo daqui
Quando me for.

6 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Fern.,

Recolhe o que restou e continue doando palavras lindas...

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-

Ricardo Almeida disse...

Once there was a way to get back home...
Belo poema! Bom demais retornar a esse espaço.
beijoss

Otário disse...

palavras muito bonitas,
enfeitiçam meu coração.
Sentimentos e letras
)emoções)
embaladas em canção!

C. Camargo disse...

lindo!

Anônimo disse...

中醫減重
中醫減重
中醫減重
中醫減重
中醫減重
花蓮民宿
花蓮民宿
花蓮民宿
花蓮民宿
花蓮民宿
花蓮民宿

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Fern.,

É uma prisão cheia de paixão...

Você é linda!

Beijo grande.

Rebeca


-

Refletidos

A imagem refletida

Minha foto

Gaúcha de nascimento, carioca de coração. Advogada, escritora incubada e apaixonada por cultura.