julho 28, 2009

Samba do amor novo



Qual foi o meu papel
Dentro do livro da sua vida?
Afinal nada fiz pra merecer
O sofrer que você me impôs

Mas agora você há de ver
O meu sorriso renascer
Que amanhã é um outro dia
E eu não estarei mais presa à você.

As cores são mais vivas
E os suspiros mais sinceros,
Pois agora o amor que eu vivo
Não lembra em nada a dor que eu passei.

Meu coração é leve, liberto
Agora baila sem você por perto.
Posto que este amor é um rio novo que nasceu
E em seu leito a vida se espalha de peito aberto.


Sugestão de música: Satisfeito_Marisa Monte

3 comentários:

Dora disse...

Liberdade é sempre uma coisa boa, mesmo dentro do amor. Se aprisiona não deve ser bom ~.~
Cheiro grande.
*belo poema*

pirofagia disse...

E os suspiros mais sinceros,
Pois agora o amor que eu vivo
Não lembra em nada a dor que eu passei.

só digo uma coisa.

BAH

Ju disse...

Tudo que já pensei em dizer está escrito neste poema. Lindo!
Beijo!

Refletidos

A imagem refletida

Minha foto

Gaúcha de nascimento, carioca de coração. Advogada, escritora incubada e apaixonada por cultura.