setembro 30, 2009

Infância



Existe um momento em nossas vidas em que tudo muda.
Não é um evento, não é um ritual.
É como um piscar de olhos, um cometa riscando o céu.
É o primeiro dia da sua vida em que você pica a manga na cozinha em vez de chupá-la no pé.
É o dia em que você percebe que suas pernas estão longas demais e pular amarelinha parece sem propósito. Você quer muito continuar achando graça naquilo, mas suas anotações nos cadernos são diferentes, sua letra e sua voz mudaram.
Seus interesses mudaram.
Você não viu muito bem quando isso ocorreu, não é mesmo?
E não é que algo tenha se perdido, não é que a inocência se perdeu. Que conceito mais simplista esse!
Acontece que você cresceu.
Ali, sentada, comendo filetes de manga.

6 comentários:

BLOGDOED disse...

acontece que a gente continua crescendo sem querer. e não quer deixar de ser adolescente, não quer deixar de ser jovem, não quer deixar de ter saúde, não quer deixar de estar vivo.
E quando menos se espera. E só escuridão e medo que nos cercam...

Blue disse...

Crescemos dia a dia, mesmo não sendo mais crinaça, podes ter certeza !

Beijos

Tunai Giorge disse...

.

E quando apenas uma palavra faz com que você veja tudo diferente?

.

Fern. disse...

Ed, acho que se a gente se prepara pra crescer, sabe o que esperar e perde o medo.
Blue, a situação é bem essa; a gente cresce fazendo as coisas mais banais.É tão simples,a meu ver...
Tunai, que bom vc aqui!Se apenas uma palavra muda tudo, um longo caminho já foi traçado.uy7hhhhjkm (e isso foi escrito pelo meu gato, que resolveu atravessar o teclado =P )

Alan disse...

E assim, aos poucos e aos pedaços, vamos crescendo, até nos depararmos com isso que a gente chama de vida adulta. Mas no fundo, no fundo, acho que somo todos crianças desamparadas...

Abs!

Gordinha disse...

Ai meus tempos, de ficar em casa o dia inteiro fazendo sei lá o que! Saudade =(
A culpa de tudo isso é o tempo!

Abraços!
=D

Refletidos

A imagem refletida

Minha foto

Gaúcha de nascimento, carioca de coração. Advogada, escritora incubada e apaixonada por cultura.